Limites territoriais causam confusão sobre áreas de atuação das Forças Armadas em MS durante as eleições

Os limites territoriais de Bonito e Porto Murtinho, ao sudoeste de Mato Grosso do Sul, têm causado confusão sobre as áreas de atuação das Forças Armadas durante as eleições municipais deste ano. Conforme anunciado pelo Ministério da Defesa, 107 localidades do país terão o apoio do Exército, Marinha ou Aeronáutica no próximo mês, sendo quatro delas em MS.

Até aí está tudo certo. A confusão se dá na hora de citar os municípios em que estão situados esses locais, uma vez que a Aldeia São João faz parte da comarca de Porto Murtinho, não de Bonito, assim como a aldeia Alves de Barros e a colônia Cachoeira do Apa. O último é distrito de Porto Esperança, em Corumbá.

A juíza eleitoral de Bonito, Paulinne Simões de Souza, explicou que a confusão de informações pode ter ocorrido por causa da proximidade da aldeia com a cidade. “Para a Justiça Comum, em razão da proximidade, a Corregedoria do Tribunal de Justiça delegou o cumprimento dos atos processuais (intimações e demais cumprimentos) em relação aos moradores dessa e das demais aldeias (Alves de Barros, Tomázia, Kadiwéu etc) à comarca de Bonito, por exemplo, são os nossos Oficiais de Justiça que vão até lá e inclusive para a ouvida de alguém dessas aldeias”, explicou ao acrescentar que as responsabilidades eleitorais pertencem ao município/comarca/Zona Eleitoral de Porto Murtinho e “toda a situação eleitoral é direcionada por àquele Juízo, ou seja, 20ª Zona/Porto Murtinho”.

Ainda conforme o Ministério da Defesa, as localidades e o período de atuação da Marinha, Exército e da Força Aérea Brasileira foram definidos conforme os termos de requisição do Tribunal Superior Eleitoral para superar os desafios de logísticas.

A atuação das Forças Armadas deve acontecer em 107 localidades, distribuídas por Acre (41 locais), Amazonas (29), Amapá (5), Mato Grosso do Sul (4) e Roraima (28). Os militares auxiliam no transporte de pessoas e materiais e também podem atuar na garantia da lei e da ordem no primeiro e segundo turno das eleições, com a finalidade de permitir que os candidatos entrem em redutos eleitorais com segurança, bem como no entorno da área de votação.

Perda de eleitorado

Dados do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) mostram que Bonito possui 15.075 eleitores, atualmente. O número é 8,5% menor em relação à última eleição, em 2014, onde 16.458 pessoas estavam aptas ao voto. Essa redução pode ser explicada pelo cadastramento biométrico que foi realizado na cidade no ano passado, que funcionou como revisão do eleitorado, negativando todos que não realizaram o processo.

Conforme informações do site Bonito Informa, que realizou a pesquisa, as mulheres são maioria entre os eleitores, somando 7.753 dos votos, enquanto os homens somam 7.322.

A maioria do eleitorado, 3.365, possuem entre 25 e 34 anos, 3.114 variam entre 35 e 44 anos, 2.815 de 45 a 55 anos; 2.307 entre 56 e 69 anos, 2.134 possuem de 18 a 24 anos, 939 eleitores possui idade igual/superior a 70 anos, ou seja, não tem mais obrigações eleitorais, e apenas 401 eleitores têm entre 16 e 17 anos.

Os números de eleitores analfabetos na cidade somam 801; 1.254 sabem ler e escrever; 5.413 possuem o Ensino Fundamental incompleto; 930 completaram o Ens. Fundamental; 1.797 não concluíram o Ensino Médio; 2.684 concluíram o Ens. Médio; 721 não completaram a graduação e, por fim, 1.475 eleitores possuem o Ensino Superior completo.

No dia 02 de outubro, aniversário de 68 de emancipação política do município, 57 seções estarão distribuídas em 14 locais de votações.

Autora: Kemila Pellin/Portal da Educativa

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *