26 Out 2018

ENTENDA O QUE ESTÁ EM JOGO AGORA

A queda da diferença

Pesquisa Datafolha divulgada ontem mostra uma queda da vantagem de Jair Bolsonaro sobre Fernando Haddad. Na intenção de votos totais, o candidato do PSL foi de 50% para 48%. O petista subiu de 35% para 38%. Nos votos válidos, excluindo brancos e nulos, a diferença caiu seis pontos: o placar é de 56% a 44%. / nexo

As razões do movimento

A subida de Haddad ocorre após o caso das suspeitas de caixa dois envolvendo apoiadores de Bolsonaro no WhatsApp, da divulgação de vídeo sobre o Supremo e de discurso do candidato do PSL a apoiadores na Avenida Paulista. / nexo

A ausência de debates

O debate final entre os candidatos à Presidência estava marcado para hoje na TV Globo. Mas Bolsonaro anunciou que não vai. Ontem, o general reformado Augusto Heleno, aliado do candidato do PSL, disse que a ausência se deve a “ameaça de atentado terrorista”, sem entrar em detalhes. / estadão

Sem cara a cara

No primeiro turno, quando Bolsonaro foi a dois debates, o candidato do PT ainda era Luiz Inácio Lula da Silva, preso e sem autorização para ir aos encontros. Após Haddad ser oficializado, o capitão reformado não apareceu porque foi vítima de uma facada. E continuou sem ir mesmo depois de liberado pelos médicos. / nexo

TSE, Bolsonaro e urna eletrônica

O Tribunal Superior Eleitoral determinou ontem que Google e Facebook retirem do ar em 24 horas um vídeo no qual Bolsonaro sugere a possibilidade de fraude no resultado das urnas eletrônicas em benefício de Haddad. Ouça neste podcast a origem das acusações não comprovadas sobre o sistema de votação. / nexo

Sem precedentes

Laura Chinchilla, chefe da delegação da OEA (Organização dos Estados Americanos) que está no país para acompanhar as eleições, disse ontem que a disputa brasileira é “sem precedentes” no que se refere a fake news, pelo fato de os boatos circularem majoritariamente em redes privadas de WhatsApp. / uol

OLHE ALÉM DA FRONTEIRA

Mais explosivos 1

A polícia federal americana afirmou ontem que interceptou o envio de mais três possíveis artefatos explosivos, dois endereçados a Joe Biden, vice-presidente no governo de Barack Obama, e outro ao ator Robert De Niro, crítico de Donald Trump. O FBI tem concentrado as investigações na Flórida, de onde partiram a maioria das postagens. / folha

Mais explosivos 2

Ao todo, dez pacotes suspeitos foram enviados pelo correio a democratas e apoiadores da legenda adversária do atual presidente americano. Os atos ocorrem a duas semanas das eleições legislativas dos EUA. Trump responsabilizou a imprensa e disse que a “raiva” da sociedade é provocada pela divulgação de notícias falsas. / el país

FIQUE ATENTO A ISTO

Prisão domiciliar

Ricardo Lewandowski determinou ontem que mulheres que estejam na cadeia por tráfico de drogas e que tenham filhos de até 12 anos ou estejam grávidas cumpram prisão domiciliar. O ministro do Supremo decidiu sobre um caso específico, mas ressaltou que ele se estende para todas as detentas nessas condições. / g1

OPINIÃO

Por que e como voto

“Bolsonaro não seria a minha escolha primeira mas foi o que restou de decência e pudor ao povo brasileiro, diante do que ficou.” Leia mais no ensaio da ex-ministra do STJ Eliana Calmon. / nexo

DESACELERE

Os 50 anos do ‘Álbum branco’

Com músicas como “Helter skelter” e “Revolution 1”, o “Álbum branco” reagiu a conflitos e questões do emblemático ano de 1968. O “Escuta”, podcast de música do Nexo, fala sobre o contexto e a importância do disco dos Beatles. / nexo

INSPIRE-SE

Um poeta repórter

O poeta americano Walt Whitman trabalhou como correspondente do jornal The New York Times em Washington. Suas coberturas incluíram a posse de Abraham Lincoln e a Guerra Civil americana. / nyt

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *