Mato Grosso do Sul 27 abril 2021

CPI DA COVID COMEÇA HOJE COM PLANALTO NA DEFENSIVA

A CPI no Senado que vai investigar a conduta do governo federal na pandemia começa a funcionar hoje em clima de guerra entre Legislativo e Executivo, via Judiciário. Um juiz de primeira instância do Distrito Federal, atendendo a pedido da deputada bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP), determinou em liminar que Renan Calheiros (MDB-AL) não pode ser escolhido relator da comissão. Mas, com base em seu regimento interno, o Senado deve ignorar a decisão judicial. O presidente da Casa, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), soltou nota dizendo que a escolha do relator cabe ao presidente da CPI e não admite interferência de um juiz.

Coluna do Estadão: “Não durou muito a conversa de Jair Bolsonaro de que não teme a CPI. Qualquer que seja o desfecho da tentativa de afastar Renan Calheiros da relatoria, quem convive com o influente senador alagoano diz que ele já esperava a investida jurídica e se preparou para revertê-la: é conhecido pela frieza na atuação contra adversários. Ou seja, se permanecer na relatoria, Bolsonaro deverá ter pesadelos.”

Na noite de ontem sete titulares e um suplente da comissão, todos identificados como independentes ou oposicionistas, se reuniram na casa do senador Omar Aziz (PSD-AM), que deve ser eleito hoje para presidir a CPI. Além de traçar estratégias para os trabalhos, os parlamentares discutiram o documento com 23 possíveis acusações contra o Executivo, elaborado pela Casa Civil para que os ministérios preparem defesas. (Poder360)

A lista, aliás, causou surpresa. Para os oposicionistas, o documento de dentro do Palácio do Planalto é uma confissão antecipada. “É um caso único de delação precoce”, ironizou o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que deve ser escolhido vice-presidente da CPI. “Eles contribuíram com um roteiro a ser seguido por nós.”

Enquanto isso… Tido como personagem central nas investigações da CPI, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello foi flagrado passeando sem máscara em um shopping center de Manaus. Interpelado, o general reagiu com ironia: “Onde compra isso?” Só lembrando, Pazuello é alvo de inquérito sobre responsabilidade no caos da saúde exatamente na capital do Amazonas.

Meio em vídeo. Existe uma guerra pegando fogo nos bastidores do governo Bolsonaro. Olavistas contra militares. As metralhadoras estão voltadas contra o ex-ministro Eduardo Pazuello. O mesmo com quem Bolsonaro conta para defendê-lo na CPI. Se preciso, até se sacrificar. Humilhar Pazuello não é boa estratégia. A CPI, afinal, começa a trabalhar hoje. Confira o Ponto de Partida no YouTube.

Aliás… O vice-presidente Hamilton Mourão procurou dissociar a imagem do Exército da atuação de Pazuello, ainda general da ativa, no Ministério da Saúde.

E a Procuradoria-Geral da República denunciou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e outros 16 servidores por suposta fraude na compra de respiradores. A denúncia serve como uma luva à estratégia do Planalto de focar as investigações sobre a gestão da pandemia em estados e municípios.

Recém-afastado da Superintendência Regional da PF no Amazonas, o delegado Alexandre Saraiva disse ontem, em depoimento na Câmara, que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles tornou legítima a ação de madeireiros ilegais e participou de fraude para proteger criminosos. Além do desmatamento, explicou o delegado, a liberação de 200 mil metros cúbicos de madeira ilegal envolve “grilagem de terras em larga escala”. (Globo)

O depoimento vai ser a base para um pedido de CPI feito pela bancada do PT, revelam Malu Gaspar e Mariana Carneiro. O objetivo é investigar atuação de Salles em favor de madeireiras na Amazônia, o que também motivou uma notícia-crime enviada por Saraiva ao STF.

Jair Bolsonaro respondeu com ofensas à pergunta de uma repórter em Feira de Santana, na Bahia. Driele Veiga, da TV Aratu, indagou sobre a foto em que o presidente, dois ministros e um apresentador de TV aparecem segurando uma placa com um CPF e a tarja “cancelado”, uma expressão usada por grupos de extermínio para confirmar que alguém foi assassinado. “Não tem o que perguntar? Deixa de ser idiota”, reagiu Bolsonaro (vídeo do YouTube). Em sua conta no Instagram, Driele comentou: “A mim o xingamento não ofendeu. Só mostrou que estava no caminho certo. Sou jornalista e estou aqui para perguntar, por mais que a indagação incomode”.

TRANSFORMANDO NEGÓCIOS

As soluções de inteligência artificial (IA) de conversação e acionadas por voz vem se tornando uma nova fronteira a ser alcançada no e-coommerce. A consultoria Juniper Research estima que o voice commerce (ou seja, comércio por voz) movimentará US$ 80 bilhões em 2023. Nos EUA, mais de 40 varejistas, incluindo Walmart, já entraram na onda. No Brasil, a Natura fez parceria com o Google Assistente para a venda de cosméticos por comandos de voz combinados com navegação online. A opção de vendas por assistentes de voz atraem o novo consumidor, que procura praticidade, agilidade e realizar várias tarefas ao mesmo tempo. Enquanto também traz valor ao negócio. Especialmente no Brasil, considerado um mercado promissor para soluções em áudio. Entenda.

A Amazon criou o seu primeiro salão de beleza. Localizado em Londres, o Amazon Salon serve para testar novas tecnologias: os clientes podem, por meio de realidade aumentada, analisar diferentes estilos e cores de cabelo antes de realmente começar a mudança. O catálogo é acessado por meio de uma tecnologia que permite apontar para um produto na prateleira para ativar uma tela com informações e vídeos do produto. Enquanto as compras são feitas por um código QR que já entrega os itens em casa. Ainda cada cliente tem acesso a um tablet para passar o tempo durante a visita. Por enquanto, o local só está aberto para funcionários da Amazon, mas deve aos poucos abrir ao público. No entanto, a intenção da Amazon não é criar outros Amazon Salon por aí — a empresa demonstrou mais interesse em desenvolver e vender essas tecnologias para outros varejistas.

O Twitter começou a testar um novo tipo de perfil para empresas. O Professional Profiles é semelhante as contas comercias do Facebook: permite adicionar informações, como endereço e horário de funcionamento, ainda tem um botão com instruções sobre a localização do estabelecimento e outro para entrar em contato com os proprietários diretamente pelo Twitter. Os testes, por enquanto, estão restritos a um pequeno grupo de empresários nos EUA, mas devem ser liberados para mais contas nos próximos meses e, aos poucos, adicionar ainda mais ferramentas comerciais.

COTIDIANO DIGITAL

O Facebook está desenvolvendo o seu próprio player para podcasts. A novidade deve ser lançado nos próximos meses e marcará a última big tech a entrar no mercado de podcasts, que já conta com Apple, Amazon e Google. O anúncio vem após o Facebook anunciar semana passada uma série de novidades em áudio, incluindo uma parceria com o Spotify para integrar podcast na rede social. Mas com a criação do seu próprio player, a ideia é que os criadores de conteúdo possam distribuir seus programas por meio de sua página no Facebook. No entanto, os detalhes exatos do produto ainda não estão claros. É possível que isso funcione por meio de RSS ou que os criadores tenham uma maneira de fazer upload de seu conteúdo para a rede social. Enquanto para o Facebook, significa mais uma fonte de renda em anúncios.

Por falar no Spotify… A plataforma aumentou os preços no Brasil para os assinantes premium. Confira.

A Apple começou a liberar a nova atualização para o iPhone que vem com a nova ferramenta de privacidade. O recurso permite que os usuários decidam quais aplicativos estão autorizados a coletar dados de uso.

Fonte Canal Meio, Abraji, Blog do Bosco

 

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *