Prática, concisa é a resenha diária de Bosco Martins.
Em poucos minutos você já sai de casa sabendo o que há de importante.

Caetano político: Ouça a inédita “Anjos Tronchos” crítica à Bolsonaro e Trump

MS, 17 de setembro de 2021

Já está disponível nas plataformas de streaming Anjos Tronchos, nova canção de Caetano Veloso. Prévia do álbum Meu Coco, ainda sem data de lançamento, a música traz o compositor mais político que nunca, atirando na direção de Trump e Bolsonaro (“Palhaços líderes brotaram macabros/ No império e nos seus vastos quintais”) e das redes sociais que lhes deram ressonância. O áudio de Anjos Tronchos já está no YouTube, mas o clipe oficial só estreia às 20h de hoje.

Cinema mudo

Uma péssima notícia para apreciadores da telona, especialmente de filmes fora do mainstream. O Espaço Itaú de Cinema anunciou ontem o fechamento de suas 17 salas de exibição nos complexos de Salvador, Curitiba e Porto Alegre. Segundo a rede, as três unidades vinham operando abaixo de 20% da capacidade – o que não é de se estranhar numa pandemia. Os cinemas do Itaú em São Paulo, Rio e Brasília seguem funcionando normalmente, e o Itaú Cinema quer reforçar sua plataforma de streaming.

Confira as dicas da agenda cultural de espetáculos que podem ser vistos on line.

Neil Thomson rege hoje as Variações Enigma, de Edward Elgar, em concerto da Osesp enquanto, no Theatro São Pedro, o Coral Jovem do Estado de São Paulo apresenta um programa dedicado a compositoras, de Lili Boulanger a Chiquinha Gonzaga. No Rio, a Orquestra Sinfônica da UFRJ toca, também nesta sexta, obras de Holst e Schubert, entre outros, sob a batuta de André Cardoso.

O SescTV transmite na quarta um show em homenagem ao centenário de Elizeth Cardoso com a participação de cantoras como Alaíde Costa, Leci Brandão e Zezé Motta. A direção é de Viviane Rodrigues.

Para ver a agenda completa, clique aqui.

COTIDIANO DIGITAL

“The Facebook Files”. Os últimos dias não têm sido fáceis para a rede social desde que o jornal americano Wall Street Journal publicou uma série de reportagens sobre escândalos envolvendo a empresa de Mark Zuckerberg. A última bomba foi que um ex-policial que atuava como investigador no Facebook descobriu um cartel de drogas mexicano no qual usava a rede social para recrutar, treinar e pagar pistoleiros. Também há indícios de que traficantes de seres humanos usavam a plataforma para recrutar trabalhadores. Fato é que os episódios significam uma clara violação das regras do Facebook, mas a empresa não impediu as publicações.

INVESTIGAÇÃO INSTAGRAN

Bem… A série de investigações do WSJ já gerou consequências para a big tech: um comitê do Senado norte-americano está investigando o impacto do Instagram sobre adolescentes. Enquanto isso, outro grupo de legisladores dos Estados Unidos pediu que o Facebook interrompa o desenvolvimento de seu Instagram para crianças menores de 13 anos, uma espécie de versão kids da rede social.

PIONEIRO

Morreu aos 81 anos, o pioneiro da computação doméstica, o britânico Clive Sinclair. Ele inventou a calculadora de bolso, mas ficou conhecido por popularizar o computador doméstico a preços mais acessíveis. Conhecido como ZX Spectrum, o sistema de computador doméstico foi lançado no Reino Unido em 1982 e vendeu 5 milhões de unidades em todo o mundo, abrindo, assim, o caminho para o futuro da computação doméstica. Sinclair morreu em casa após uma longa batalha contra uma doença cujo nome não foi revelado.

ECONOMIA

Então… O ministério da Economia divulgou a estimativa de inflação para 2021 medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), elevando de 6,2% para 8,4%. O INPC serve de base para a correção anual do salário mínimo pelo governo. Atualmente, o valor é de R$ 1.100. Com a nova previsão da pasta, o salário mínimo subiria para R$ 1.192,40 no ano que vem. Na proposta de orçamento de 2022 enviada pelo governo ao Congresso, está prevista a correção do salário mínimo apenas pela inflação. Se for cumprido, não haverá “ganho real”, ou seja, o poder de compra de quem recebe salário mínimo permanecerá inalterado.

Na esperança de tirar a ampliação do Auxílio Brasil do papel, a nova versão do Bolsa Família, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto para elevar, até o fim de 2021, a alíquota do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro e ainda sobre Títulos ou Valores Mobiliários (IOF). Ou seja, o tributo sobre operações de crédito para empresas e pessoas físicas no país. O comunicado do governo não informa quais serão as novas alíquotas, mas a medida pode gerar uma arrecadação adicional de R$ 2,14 bilhões.

Míriam Leitão: “O aumento do IOF para financiar o novo Bolsa Família vai provocar alta de custos e pode pressionar ainda mais a inflação. Na prática, as empresas que precisarem fazer financiamentos, como por exemplo, para capital de giro, terão que pagar mais caro e muito provavelmente repassarão esse aumento ao consumidor final. (…) Se o governo pretende aumentar despesas com o novo Bolsa Família, ele deve cortar gastos, e não aumentar a carga tributária.” (O Globo)

fonte canal meio e blog do bosco

 

 

BRASILEIROS PERDIDOS PARA A COVID CHEGAM A UM QUARTO DE MILHÃO

Já estava previsto, mas não é menos aterrorizante. O Brasil atingiu nesta quarta-feira a marca de 250 mil mortos pela Covid-19, mantendo-se atrás apenas dos EUA em número de vítimas fatais, embora seja o terceiro em casos — a Índia é o segundo. Ontem foram registradas 1.433 mortes, totalizando 250.079 vítimas. A doença está retrocedendo em vários países, informa Jamil Chade com dados da OMS, mas aqui ocorre o contrário. A taxa de transmissão no Brasil, apurada pelo Imperial College de Londres, voltou a subir e está em 1,05 – significa que 100 infectados transmitem o vírus para 105 novos portadores. Acima de 1, a taxa indica que a doença está fora de controle. Isso é o Brasil. (UOL)

Miguel Nicolelis, cientista: “Neste momento, o Brasil é o maior laboratório a céu aberto onde se pode observar a dinâmica natural do coronavírus sem qualquer medida eficaz de contenção. Todo o mundo vai testemunhar a devastação épica que o SARS-CoV-2 pode causar quando nada é feito de verdade para contê-lo.” (Twitter)

Embora seja comandado por um general apresentado como especialista em logística, o Ministério da Saúde se enrolou com a Região Norte. Mandou para o Amazonas as duas mil doses de vacinas destinadas ao Amapá, que recebeu as 78 mil doses do Amazonas. A pasta diz que a situação será corrigida. E a crise amazonense só faz crescer. Nos 54 dias de 2021, a Covid-19 matou 5.228 pessoas no estado, mais que os 5.285 mortos registrados entre março e dezembro do ano passado. (G1)

A calamidade causada pela doença vai de um extremo ao outro do país. Depois do Amazonas, o Rio Grande do Sul vê sua rede pública à beira do colapso, com 96% dos leitos de UTI ocupados em Porto Alegre. A média móvel de mortes também registrou um aumento de 53% em relação há duas semanas, indicativo de alta nos óbitos. Pior, segundo especialistas, o número ainda não reflete as aglomerações clandestinas no carnaval. (Globo)

Em São Paulo, o governo determinou um “toque de restrição” a partir de amanhã, entre 23h e 5h para conter aglomerações. Em entrevista coletiva, o próprio governador João Doria (PSDB) teve dificuldade em explicar como o sistema funciona. (Folha)

O Senado aprovou projeto de lei permitindo que o governo assuma os riscos decorrentes da aplicação de vacinas, o principal entrave à compra de imunizantes da Janssen e da Pfizer (que já tem registro definitivo da Anvisa). O texto prevê ainda que a iniciativa privada compre vacinas, mas algumas várias condições: enquanto houver vacinação de grupos prioritários, 100% do que empresas importarem deverá ser doado ao SUS; depois, esse percentual cai para 50%, e o restante terá de ser aplicado gratuitamente, por exemplo, na imunização de funcionários. O projeto deve ser votado ainda esta semana na Câmara. (Globo)

Só que… O presidente Jair Bolsonaro, crítico dos termos exigidos pela Pfizer, acenou com a possibilidade de vetar o projeto aprovado pelo Senado. (UOL)

O Ministério da Saúde recebeu na terça-feira 3,2 milhões de novas doses de vacinas – dois milhões da Oxford AstraZeneca e 1,2 milhão de doses da CoronaVac. Elas devem começar a ser distribuídas ainda hoje. (G1)

TECH NO PRÓXIMO NÍVEL

Depois de anos em desenvolvimento, a pandemia não só acelerou, mas trouxe de vez a automação nas fábricas, nos armazéns e nas áreas administrativas. Até o fim do ano, a base instalada de robôs de fábricas em todo o mundo superará 3,2 milhões de unidades, o dobro do patamar de 2015. Segundo as previsões, o mercado global de robótica industrial crescerá de US$ 45 bilhões em 2020, para US$ 73 bilhões em 2025. Não é à toa que a General Motors lançou este ano uma nova divisão de logística de vans para entrega de mercadoria e paletes elétricos autônomos para serem usados em armazéns. Hoje, os avanços na tecnologia e modelos de negócios permitem que não só as grandes, mas também as menores empresas desfrutem dos benefícios da automação. (Folha)

Pois é… O Brasil lidera o parque de robôs industriais da América do Sul. Tem mais de 15,3 mil robôs em operação. Na América Latina, só perde para o México, que está perto do mercado americano. A robotização brasileira está longe da adotada nos países desenvolvidos. Enquanto tem de 12 a 13 robôs a cada 10 mil trabalhadores, os EUA têm 1,3 mil, China 938, Japão 1,2 mil e Coreia 2,7 mil. (Valor)

 

Fonte: Canal Mei

Compartilhe: